Acácio Pradinhos

Acácio David Pradinhos - Agrupamento de Escolas Emídio Garcia - Bragança

 

Acácio David Pradinhos, nasceu dia 27 de Março de 1964. Natural de Bragança, iniciou a sua vida profissional nos Serviços Tutelares de Menores do Ministério da Justiça em Izeda-Bragança (1987 e 1992) experimentando a faceta de encenador/animador de grupos de teatro. 

Adquiriu formação superior no Instituto Politécnico de Bragança e especializada no Instituto Politécnico do Porto e Universidade de Santiago de Compostela. Entre 1999 e 2013 assume uma carreira paralela de Professor do Ensino Superior no Ipiaget Macedo de Cavaleiros e produtor teatral na região. Embrenhou-se no mundo das artes do espetáculo como produtor, artista plástico e encenador de grupos amadores realizando todo o tipo de projetos artísticos com grupos heterogéneos, dentro e fora do contexto escolar. Lecionou Técnicas de Animação e Área das Expressões nos Cursos de Animação Sócio Cultural/Desporto e Técnicos de Turismo/ nas Escolas profissionais de S. João da Pesqueira, Vila Real, Sabrosa e IEFP de Bragança.  No âmbito da Formação Contínua de Professores desde 1997, ministrou formação de Expressão Dramática e Animação de grupos (Expressão Plástica) nos Centros de Formação de Amarante, Régua, Lamego, Vila Real, Sabrosa, Murça, Alijó, Mirandela, Macedo de Cavaleiros, Carrazeda de Ansiães e Torre de Moncorvo. Consolidou a experiência em teatro e cenografia nas companhias Teatro em Movimento de Bragança e Filandorra de Vila Real.  Desde 2008 lecciona Área das Expressões no Agrupamento de Escolas Emídio Garcia em Bragança.

Como investigador e artista plástico tem como projeto de vida e estudo, as manifestações de arte popular nomeadamente as artes plásticas parateatrais intrinsecamente ligadas às festas dos caretos do região transmontana. Fundou e coordena as associações culturais AJAM de Macedo de Cavaleiros e Fisga em Bragança. 

 

Histórias e Narrativas da Tradição Oral “do conto ao palco”

Resumo do Workshop

A escola transformou-se num espaço de convergência de múltiplas aprendizagens. O grande desafio das direções dos Agrupamentos de Escolas é proporcionar atividades adequadas ao desenvolvimento integral das crianças e jovens em articulação com as áreas curriculares. As diferentes etapas da vida escolar das crianças e jovens são superadas com a aquisição de distintas competências e, na hora de escolher o estabelecimento de ensino, as boas práticas educativas são estandartes de prestígio aos olhos da comunidade. 

Um exemplo de boas práticas é o GRUTEG – Grupo de Teatro Emídio Garcia. É composto por 32 jovens do 7º ao 12º anos, 7 elementos do sexo masculino e 25 do sexo feminino. É coordenado por Acácio Pradinhos, desde 2008, e participa em vários momentos recreativos, na escola, e na cidade de Bragança, em articulação com o município de Bragança. Inicia os trabalhos em setembro e, ao longo do ano, prepara os/as atores/atrizes para integrar um projeto teatral, a fim de representar o Agrupamento, no encontro de teatro escolar, que se realiza em Maio no prestigiado teatro municipal de Bragança. 

As direções dos Agrupamentos de Escolas investem nestas iniciativas, imbuídas num espírito competitivo muito saudável. Durante o processo criativo, o grupo participa no halloween, gala de natal, carnaval, saraus de poesia, gala de encerramento, Street Art, festa da história, etc.

O teatro é a convergência de todas as linguagens expressivas e, por isso, representa um papel fundamental na aquisição das competências sociais. Desinibir, libertar de preconceitos estéticos, saber estar perante situações de bloqueio, etc, são desígnios muito importantes para todos os alunos, que se inscrevem mas, existe um momento em que toda a comunidade escolar aguarda o produto final e, neste caso, o saber fazer é fundamental.

 

A preparação de um projeto de teatro, dentro ou fora do contexto escolar, reúne uma complexidade de especialidades onde o processo, que ajuda a crescer, e o produto, que submete o grupo ao veredito externo, se confrontam perigosamente. Por um lado, a gratificante responsabilidade de ajudar jovens a crescer com o teatro, por outro lado, um auditório cheio de gente que, ano após ano, eleva a fasquia da qualidade.